quarta-feira, 19 de junho de 2013

Predestinada



Predestinada

Os olhos doíam
os braços estavam cansados
os beijos nos aqueciam
estávamos escondidos

no meio do caminho
numa vida predestinada
antes eu era sozinho
agora caminho com você amada

nos meus sonhos
você não era tão bela
o brilho dos seus olhos
ofusca a estrela

um beijo apaixonado
um beijo inocente
tudo era passado
com você a minha frente.

Arthur Nett

 03/06/2013

terça-feira, 18 de junho de 2013

Áspide





Áspide

Juntos procuramos a escuridão
percorremos rios e muitos
corpos  num só coração
essas terras custaram muitos

homens de fé
pureza e riqueza
morreram de pé
e nos continuaremos a nobreza

em trilhas avidas
deixamos as pegadas da saudade
eles tomaram nossas vidas
mais jamais terão nossa liberdade

tenho meu nome na lápide
onde o anjo negro tira o sono eterno
minha voracidade é como de uma áspide
vagando pela noite esperando o Inferno.

Arthur Nett
03/06/2013

sábado, 15 de junho de 2013

Janela das Violetas


Janela das Violetas

Numa casa de poeira
aos pés da janela de violetas
aos olhos do relógio de areia
me esconderam os planetas

só me deram a Lua
para poder me revelar
o quão crua
era minha alma antes de te amar

sentia a presença
de algo forte
me via criança
desvendando o destino ao norte

de uma gota no gota no Oceano
fiz o amor me guiar
em uma hora aprendi um ano
seu coração soube me ensinar.

Arthur Nett
13/05/2013

sexta-feira, 14 de junho de 2013

Cavaleiro Solitário



Cavaleiro Solitário

Sou o cavaleiro solitário
vendo o homem nascer e morrer
não tenho nome, nem diário
só vi em dois mil anos o sangue correr

nas veias do homem celebre
bater no coração da bela dama
deixando pegadas de lebre
ascendendo uma chama

com labaredas nas presas
queimando os anos
vivendo do sangue das presas
que jorram como os setes Oceanos

do meu olho d’água e frio
não existe estaca zero
que perfure o rio
do meu coração negro e áspero.

Arthur Nett
13/05/2013


quinta-feira, 13 de junho de 2013

Caminho de Prata



Caminho de Prata

Num caminho de prata
encontro o ouro
atravessando a intrépida mata
conquistando a ilha do tesouro

de longe contemplo
sua fascinante beleza
seu corpo é um templo
feito com a relva esculpida pela natureza

a lua cheia cobre
o azul celeste
meu olhar feito cobre
te descobre de Leste ao Oeste

para a copula da arvore vou te levar
e fazer o nascimento
da paixão ao te amar
conhecer o brilho do sentimento.

Arthur Nett
13/05/2013

quarta-feira, 12 de junho de 2013

Cabeludos Brasil



Cabeludos Brasil

Cabelos vastos
como a floresta amazônica
unidos nos pastos
do metal numa sinfônica

caminhando pelo sentimento
nos quatro cantos do País
perdurando como o vento
vivendo por um triz

as águas do São Francisco
afagando as madeixas
de São Paulo ao Rio como um cisco
escovando do Chuí ao Seixas

alguns tão jovens libertos
 maduros e amarrados
outros fortes com olhos certos
lisos em destinos encaracolados.

Arthur Nett
13/05/2013


domingo, 9 de junho de 2013

Feixe de Luz



Feixe de Luz

Meus pensamentos
fogem de mim
meus sentimentos
brotam no seu jardim

as flores encantadas
esperam a alvorada
das nossas mãos dadas
minha bela  amada

feche os olhos
e veja o feixe de luz
florescendo seus sonhos
meu beijo te conduz

trilhando um caminho só
nos dois virando um
unidos pelo amor como um nó
o laço da paixão nos deixa sem medo algum.

Arthur Nett
13/05/2013


Bela Flor



Bela Flor

Na beira da fogueira
é o meu quintal
toda paixão é madeira
queimando o amor sem igual

cada um
salvando sua vida
até não ter nenhum
casco sem ser partida

queimando o amor
assim como o Sol
tosta a bela flor
que o perfume não acabou

as paixões passam
os amores terminam
os beijos conquistam
os  casais perduram.

Arthur Nett
29/04/2013





sábado, 8 de junho de 2013

Pecados



 Pecados

Quando o dia nasce
começa a morrer
sem sombra descanse
deixe o sangue percorrer

as águas mais profundas
onde todos caem no penhasco
vidas inocentes em terras imundas
almas enterradas sobre o casco

daquele que não é para todos
vive do Holoceno ao apocalipse
devora a vida de todos os modos
sua chegada é um eclipse

o ritmo cardíaco para
a vida desacelera
só o criador contará
os pecados da nossa Era.

Arthur Nett
14/11/2012

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Sangue Inocente



Sangue Inocente

Os dias passam sem dormir
as noites se vão sem descanso
a luz do Sol me vê partir
para as noites que nunca canso

sozinho em busca de alimento
vago pela cidade em busca de sangue novo
com seu sangue nos lábios e no peito o sentimento
de amor ao ver a morte do povo

mil milhas de cadáveres aos meus pés
faz de prazer transbordar o meu sorriso
corações surrados pelas marés
dos meus desejos em vê-los fora do Paraíso

sempre me da dor
ver uma vida que ainda não tomei
gosto de sangue inocente como o amor
eterno que jamais esquecerei.

Arthur Nett
15/09/2012

Mil Anos



Mil Anos

No comecinho da manhã
é hora de voltar ao cemitério
sou um anjo devoto a satã
não revelo nada , vivo um mistério

de laços estreitos
entre o Céu e o Inferno
gélidos peitos
sem pulso sem amor fraterno

a mais de mil anos
caminho sobre a Terra
conheço os sete Oceanos
desconheço o homem que nunca erra

em busca de alimento
me misturo a sociedade
meu coração sedento
por aqueles que ambicionam a eternidade.

Arthur Nett
01/10/2012

Wandering minstrel



Wandering minstrel


The Bolero by Ravel in long stay
the castle hit by straws
cannon flaming evening until
CUPE our roads traps

crossed the path of the pigeons in the wind
the wandering minstrel sings hissing
the fairy enchantment fluoresces life
Cupid nothing at the end of the night the monastery

the gallant warrior tames Lions
Princess bright in the dark
Pony in the daring adventure of hearts
prolific kissing our love pure

My harness its seamless lace dress beautiful
the subtle charm of the magic wand
time flies in Love Cinderella
sighs in the valley in the sweet heart.
Arthur Nett
28/07/2011

quinta-feira, 6 de junho de 2013

Primavera



Primavera

Renasce a cada primavera
ao cantar da andorinha
o amor vive e espera
que seja minha

vivo por inteiro
ao seu lado minha flor
genuíno e pioneiro
o perfume do amor

o olho da alma percorre
cada pétala procurando o perfume
caminha e corre
no mais antigo gume

o tempo dirá
a hora de colher
ele te escolherá
como minha mulher.

Arthur Nett
01/10/2013

追悼



追悼


火をするあなたの写真を使用して、
熱はあなたの抱擁のことを思い出す
私の思い出は、木のように焼く
あなたの体は私の腕の強さをミス

私たちの思い出は、石炭を回した
私たちの関係の未来は水の泡になった
それが無駄であったのだろうか
ただ広場で私たちの絵を保つ
  
私の枕の上にあなたの頭のもう毛ない
いくつかのクッションと風の中での香り
不運にもしようとしますが、時間を私たちの笑いを忘れる
私は見知らぬ人だと思考を欺か

我々のサイクルは、ちょうど真ん中にある
あなたは私のバラと私はあなたの庭です
病気の私と一緒に思い出
あなたはいつも私のすべてのものになります。

アーサーネット

23/01/2011

Night without End



Night without End

The only loose jaw
when life ends
tastes like blood around
the red river that never ends

all that remains is the cry
the death of a thousand cuts
the bandstand demons lies in writing
the elder Gods fear the strengths

in endless night
killer instincts proliferate
the pages turn themselves for me
Behind the glass in your book foresight

the trunk down by the river
and shall desire rising high boot
her corset and bloody freezing
my fangs touching her neck and flute.

Arthur Nett
03/06/2011

quarta-feira, 5 de junho de 2013

天国に非難



天国に非難


私の人生の中であなたのすべての前に
大サビだった
暖かいと神秘が私を誘う
我々の時代の錬金術は蜃気楼です

彼のそばに天を宣告
ハクトウワシと人身保護令状
私の白い肌と私の黒い馬
天使は私の証人ジプシーです

長い彼のペンを私の横になります
異議申し立てなく罰の毎年に値する
重罪犯罪は愛の魅力である
私のリリースのフィールドを自由に実行

彼の犠牲のエキサイティングな、長い味
彼らの自由の超音速グリル
私の袖口のリンクは彼らの工芸品になる
私のキスでそのIDを見つけます。
アーサーネット
28/03/2011

Grove Wheat



Grove Wheat


My magma on your skin volcanic
her soft neck endangered
my desire weeds growing in ceramic
our love portrayed in the woods wheat

their baby steps in silk carpet
My heart pounding in your forest
my sun shines in its beautiful water
in my heart your always too

with fin PVC
initialing my name on the hip
I varnishing about you
Your latex riddled my vinyl

this crosssingle hand
about the divine eyes of the Universe
our spare time in the covenant of chemistry
writing in the film Love our verse.

Arthur Nett
09/06/2011

паршивая овца



паршивая овца


На обратном пути без воодушевления
заточка его смерти накануне
служит черная овца
ужин в центре зверя

одну ночь за другой
нашли время, чтобы продолжить
выступающей в темноте раннего утра
семь дней в пересечении тонкой грани

стерильные области в Европе
Laurel Springs в огне
семя кровь моя
Я спать весь день кожа

день является сильным хищником
охота на страницах поля иммунной
главы в нашей любви розмарина
весь в крови, в каждом томе.

Артур нетто
23/08/2011

Olhos do Passado



Olhos do Passado

O dia sem Sol nascer
a noite sem luar viver
no seu beijo crescer
a paixão que nunca poderá esquecer

a poeira do tempo
nos olhos do passado
eterno como o vento
caminho ao seu lado

a vida inteira descendo
por onde estive
despontando crescendo
em tudo que você vive

o Sol vem contigo
você traz todas as flores
o perfume vem comigo
você é o maior dos amores.

Arthur Nett
17/05/2013

terça-feira, 4 de junho de 2013

Јединствена Хаири Онес



Јединствена Хаири Онес


Јединствена бића смо длакаве
сутони солитера у шуму
наша коса мека као сомот
освојио верни и незахвалан

Округлог стола дуга коса краља Артура
снагу и виталност метала која је вечна
да хардроцкерс и њихове екстраваганције и гламура
четири момци из Ливерпула који су носили одело

Викинг прошлост Џони Деп док Оззи
длакави су највећи у историји
укроћена гитаре попут змајева желе више од једне дозе
наша садашњост победник, не заборавимо прошлост славе

Чак и Исус је највећи од свих длакав
у Бразилу, Америци, Европи све до Јапана
цонкуиставамос мора пиратски пред немом филму
у тајној башти у свету су анђели и демони који чине нацију.

Аrthur Nett
26/02/2011

Окрестности Смерть



Окрестности Смерть


Ад ходит по земле
дьявол ждет в конце линии
никто больше не ходит в свете Земли
ночью будет моим

проклятого наследия поднимает
могила в земле никто
осквернены надгробия чистая святая
небесная мелодия будет отклонена на кладбище за пределами

медленный яд, как огонь в узел Сосна
временные ожоги навсегда
рыть гнезда паутины
жаркий любовь в гробнице ее утробе

Лезвие погружается в болото
ночном небе сияющие белые платья
жизнь вокруг желание смерти
пил кровь в тени ствола.

Артур нетто
25/08/2011

マジェスティック佐賀



マジェスティック佐賀


彼の魂はあなたの体が上がる下がる
私の慈悲で彼の唇
私の指、彼の恐怖フェードで催眠
現在と花束を結びつけるリンク

マークされたカードは私たちの家
女王は彼女の王冠を失った
私の腕の中で彼の強さが改めて感じている
我々の雄大なサガは飛ぶ鎧です

あなたは、地面と再生されない
私の足はベルベットを感じる
私たちの痛みを残す
ダンジョンミラーの病気

オーシャンズときに私の唇
その川のほとりに流れ込む
賢明としての彼の王冠を滑り落ちる
嵐が君臨し、震えずにセーリング。

アーサーネット
28/03/2011

About the Stars



About the Stars

Grows Ocean View
Mares in greens
perpetual all year
met to the airways

hibernation berth
our dreams made ​​water
our reality a desert of thumb
a canteen of water kisses

Your first line of orchid
orbits my underground railway
Your astral projection Queen
the real love generated in subcutaneously

so pink diamond Australian eternal
my cupid sculpts the holy stars
your heart in inside job
on starlight we join hands.

Arthur Nett
08/06/2011

Jornada



Jornada

Qualquer jornada
é um descaminho
se não estou ao lado da amada
seu coração é meu ninho

do comecinho da manhã
ao fim da madrugada
sua trilha é a bruma da manhã
te levando onde é esperada

no frio no calor
do alto da montanha
escalo o amor
com sua paixão tão minha

não existe passado
antes de você viver
meu destino era alado
até te conhecer.

Arthur Nett
04/03/2013

segunda-feira, 3 de junho de 2013

Matar Muitos




Matar Muitos

Viverá na Terra
cobertos pelo seu calor
sobre os olhos da vitima que berra
nos alimentaremos do seu sangue e dor

jamais caminharemos no Sol
seremos abraçados pela escuridão
o calor do sangue nos sustentou
fez bater forte o seu coração

sempre será tão tarde
que já será cedo
a vida arde
e a morte tem medo

iremos matar muitos
para salvar poucos
haverá uma sinfonia de gritos
e vampiros livres como loucos.

Arthur Nett
25/02/2013

domingo, 2 de junho de 2013

As Viúvas



As Viúvas

Os homens repousam nos pântanos
suas esposas vivem na minha cama
caminhamos pelo mundo feito ciganos
com o sangue acendendo a chama

aquecendo as viúvas
no meu castelo
estão sempre alvas
encobertas pelo meu vasto cabelo

minha pele alva refletira
todos da nossa era
ninguém se salvara
no outono, inverno, verão ou primavera

tudo será o rastro
do ser eterno
a noite é o monstro
o lar é o inferno.

Arthur Nett
21/11/2011


Correntes



Correntes

Ventos fortes na bacia
contornando as costas
sinto sua pele macia
te envolvo do ventre as costas

mergulha as margens
da praia o romance
belas imagens
ao nosso alcance

a água rasa molha os seus pés
meu beijo lava o seu desejo
selvagem como as mares
você está em tudo que vejo

em correntezas avidas
te abraço como a brisa
na corrente das nossas vidas
sou o anel que precisa.

Arthur Nett
21/11/12