quinta-feira, 3 de abril de 2014

Reino



Reino

A noite apareceu
forte como a nobreza
o dia desapareceu
tenaz como a natureza

o ouro jorra da fonte
a riqueza me conforta
aos pássaros conte
como o seu amor me importa

os anjos do castelo
envolvem o querubim
tudo agora é majestoso e belo
tendo você pra mim

patrono de sensações
rainha do meu reino
uma ponte madrigal de corações
com diamantes cravejados no destino.

Arthur Nett
27/03/2014


Círculo do Mortos



Círculo do Mortos

Quando houver saudade
o circulo dos mortos
te trará para a liberdade
sangue e morte são confortos

sempre em frente
perdidos no dia
a noite devorando gente
com lagrimas de alegria

você foi a primeira
que com minhas presas dei a partida
uma nuvem de poeira
por uma única vida

demos ao Inferno
desertos áridos
onde o inimigo eterno
reina para demônios temidos.

Arthur Nett
18/02/2014

Estrela Cadente



Estrela Cadente

Eu me perco me sinto sem vida
desde sua partida
estou sem saída
seguindo a calda

de uma estrela cadente
numa noite de luar
você não esta presente
para me amar

difícil de explicar
o buraco que você deixou
não consigo testemunhar
minha lagrima se acabou

mais a paixão ainda arde
no frio , no calor
para a saudade nunca é tarde
ela não dorme sem o amor.

Arthur Nett
18/02/2014

Paraíso



Paraíso

Quando te vi fiquei louco
perdi a razão 
o nunca mais era pouco
foi o cárcere do meu coração

areia do deserto
estou sem luz
tão perto
e tão longe o vento de conduz

sem rumos há tempos
só guardando a sua imagem
moinhos sem os quatro ventos
movidos pela coragem

os mesmos olhos
no mesmo sorriso
janela dos sonhos
destrancando a porta do Paraíso.

Arthur Nett
18/02/2014

Alcateia



Alcateia

Eu era uma Alcateia de um
valente e lobo só
não havia lugar algum
onde o vento levasse o pó

tirasse a poeira
do fundo dos meus olhos
procuro uma maneira
de te trazer do sonhos

minha visão turva
criando uma ilusão na minha mão
sem piedade, sem luva
palma com palma e coração com coração

eu estava cego
sua paixão me iluminou
no seu folego
o luar começou.

Arthur Nett
18/03/2014



Trilhas de terra



Trilhas de terra

No infinito a uma secreta mensagem
não posso lê-la tão pouco desvendar
em busca dessa imagem
caminho intrépido e devagar

trilhas de terra
por algo concreto
percorro a Terra
pra chegar perto

meu corpo alevante
de varias sensações
desse dia em diante
quero honrar as emoções

perder o medo
libertar com zelo
o ilustre segredo
o amor belo.


Arthur Nett
27/03/2014

Dragão



Dragão

Conto os dias
para ceifar o dragão
aguardo as lagrimas
quentes do coração

a intrépida besta
caminha soberana
ela não deixa ninguém sair da floresta
tenho que proteger a minha fada de porcelana

sou um elfo encantado
contra um ser malévolo e satânico
quero velo acabado
e meu triunfo virar um cântico

que perdure por gerações
forte como diamante
adormecendo as estações
sendo contada de um tempo distante.

Arthur Nett
26/03/2014

Entranhas



Entranhas

Nas entranhas dela tem o amor
no meu ser a posteridade
sangue sagrado e a dor
fazem parte da liberdade

sua vida corria perigo
até me encontrar no caminho enegrecido
a escuridão é um abrigo
onde sou livre e não entristecido

sem destino esquecido
minhas presas fizeram a absorção
do sangue perdido
nos vales do seu coração

pra matar a sede
preciso do seu sentimento
aquele que se perde
e levado pelo vento

Arthur Nett
26/03/2014

terça-feira, 1 de abril de 2014

Cerca



Cerca

Lagrimas brancas
correm sua pele alva
minhas palavras francas
te mantem a salva

meu sentimento te cerca
fazendo o amor ganhar
e com que a solidão se perca
num caminho onde posso te amar

um destino certeiro
sem nenhum erro
vivo por inteiro
no momento que encerro

sua procura por mim
todos os tempos
são testemunhas de onde vim
com você no coração na companhia dos ventos.

Arthur Nett
26/03/2014

Par



Par

Um sentimento concreto
com fortes pilares
fazendo esse amor completo
na estrada dos ares

deixando pegadas
até nossas bocas fazerem a colisão
nossas procuras estão terminadas
unidas em um só coração

o passado me causou um dano
num futuro que nos espera
seu calor é um pano
me cobrindo com o perfume da primavera

no caminho uma bela flor
trilhou para sermos um par
despertando o amor
adormecendo o meu presente ímpar.

Arthur Nett
26/03/2014