segunda-feira, 21 de julho de 2014

Fito in Folletti


Fito in Folletti


Il ciclo della vita è una testimonianza
esotico dotty ventricolare
scavato l'ago nella direzione opposta
fito nelle fiabe nella loro

Scavare sul cofano del tetto apribile
attacco Venus orfano ultimo ballo
sacro in anelli di Saturno nelle dita chiaro di luna
putrefazione minaccia superficie

sei corde in fondo della casa
complici giorno e notte della cometa
scintillante stella solitaria cercherà
lo scontro sul tetto del mondo senza etichetta

cronometrato a razzo Elegance
fine dal cuore
giudice del suo fascino e la fragranza
steward accorto della sua ossessione.
Arthur Netto
29/05/2011

Opera in metallo



Opera in metallo

Opera arriverà via terra dal grembo
raffinazione del metallo dopo l'allattamento al seno
il vento porta il cielo Mozart per sempre
trick linfa Back in Black brave ed eterna

Wagner è il girasole duetto dei miei passi
Bach gli occhi destro della strada
Metallica e Black Sabbath tatuaggi mie ossa
Ozzy griglia sciolto Pergamena

Nell'oceano finestra della chitarra grezza riff
nubi cáfila che compongono la melodia al pianoforte
epitâmia mare al tramonto chiavi sono la strada
integrante della sinfonia eterna ogni anno

Anthrax infetta dall'ultimo al primo polmone
Iron Maiden è la campana dei venti nella tomba
Della Quinta Sinfonia salire la linea dell'orizzonte oltre la terra
Ace of Spades veleno Slayer teneramente. 

Arthur Nett
12/07/2011

madreperla



madreperla 

Una notte chiara nel mare calmo 
il carro di stare perla 
nel diario di bordo poetica Salmo 
pelle cartier polso e perla 

fili di rame nel contenitore 
maturazione il bicchiere di Merlot 
il fuoco della passione che brucia cintura 
il primo colpo istinto 

il tronco non cambia mai 
con il calore delle stagioni 
nel freddo conoscere la terra silenziosa 
innaffiato con le lacrime di cuori 

la tua parte è la mia 
tutta la mia intera 
Vento favorevole alla regina di bellezza 
Julieta Romeo alla deriva. 

Arthur Nett 21/06/2011

Hard Rock



Hard Rock 

Gli occhi del cielo notturno con il blu ombra 
shirts macchiato leopardo rossetto 
flusso di parole dolci da est a ovest 
i Guns'n'Roses cavallo alato impostazione del tono 

Led Zeppelin luci guida del paese 
ragazzi saranno liberi pantaloni di prigionieri di pelle 
orde di groupies selvatici riempie il pacco 
assoli di chitarra di trucco tesoro 

gioielli sono la penombra del giorno sul palo 
vinile è l'intermezzo della seta nella stravaganza 
Bacio l'alba del sentiero e lasciare cicatrici 
Aerosmith reclutare l'essenza della fragranza 

destinazioni nel vento nei capelli di Rapunzel 
la polvere entra nei volti radiante rubacuori 
bevande che infiammano l'azzurro del cielo 
gazebo nel giardino angeli di Satana. 
Arthur Nett 
17/07/2011

Vivere Morte



Vivere Morte 

Percorsi lunghi in ombre del Tennessee 
con i rischi amaro in Paradise 
vivo a morte da quando sono nato 
giorni passano le notti del tuo sorriso 

labbra carnose per ore 
linee di sangue sulla nostra strada 
afflusso di sangue nel fiume 
Il mio santuario nel loro nido 

l'oscurità torna alla vita 
la causa della morte della stella re 
la loro carne masticata partenza 
la notte con il suo brindisi sangue 

sepolta nel suono di sibilo 
luzidos cavalli in campo e osceno 
Baci uccidere il serpente salvato 
il suo corpo farcito nel mio veleno. 

Arthur Nett 
01/09/2011

terça-feira, 8 de julho de 2014

Leviatã



Leviatã

Ela estava exausta da vida
senti isso no fundo dos olhos
queria o néctar da partida
viver sem perder os sonhos

eles vieram armados
achando que lhe tirei
a vida então os deixei acabados
numa noite lhes mostrei

a muitos mistérios
entre o Céu e a Terra
nos rios dos cemitérios
leviatã observa e narra

nunca seremos vistos
a caminhar pela cidade
no dia seremos bem quistos
à noite teremos nossa liberdade.

Arthur Nett
15/03/2014

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Cálice Sagrado


Cálice Sagrado

Vamos beber
sangue o bastante
ver o Sol perecer
e a luz ficar distante

não temos nada a perder
a eternidade começa hoje
só iram conseguir viver
aqueles que nos virem de longe

nos viveremos pelo sangue
eles serão apenas alimento
enforcados pelo próprio sangue
no momento do sacramento

bebendo sangue no Cálice Sagrado
sentindo o desejo de grandeza
por estar radiante ao meu lado
sinta o meu veneno percorrendo sua leveza.

Arthur Nett
25/03/2014

domingo, 6 de julho de 2014

A Verdadeira Dor



A Verdadeira Dor

O remorso todo
sobrevive à morte
vivendo no Mundo
onde o mal é forte

não temendo nada
sentira o corte na pele
cansada da vida
virá e deixará ele

rasteja órfão
chama o pior
penumbra do coração
bombeando o veneno maior

a verdadeira dor
terá sua honra
o Céu vai se opor
levando sua alma embora.

Arthur Nett
08/05/2014

A Era do Destino


A Era do Destino

Brava estaca
enfeitiçou a humana
vai fundo a faca
uma mundana

será grande e imortal
hospedando o veneno
doce como sal
a era do destino

alguns temem
a liberdade no sofrimento
mulher e fera se consomem
em sangue e sentimento

onde ele se esconde
é linha tênue entre o fim e o socorro
suas mãos de conde
te levam ao alto do morro.

Arthur Nett
08/05/2014

Pecados de Prata


Pecados de Prata

Um vampiro alvo
com pecados de prata
no breu a bela dama é seu alvo
caçando pela cidade como uma floresta

feito um leão de fotografia
bem perto do hoje
você será minha companhia
te levarei para longe

uma longa jornada
por lugares profanos
minha doce amada
não envelhecerá ao passar dos anos

deixará de ser humana
para viver na escuridão
dos mundos é cigana
sem pulsação no coração.

Arthur Nett
10/03/2014

Mata Virgem



Mata Virgem

Mata virgem
carvão do pecado
sinto vertigem
em tê-la ao lado

desafio o destino
distante nem imagina
longe dela sou um menino
fascinado por seu charme de menina

quarto estranho
mais tarde
Céu castanho
a solidão arde

a noite atira
negra e vazia
a paixão inspira
ao fogo faz companhia.

Arthur Nett
28/05/2014

Encontros Ocultos



Encontros Ocultos

As nuvens vão dormir
o bom tempo está sozinho
o luar consegue enfim existir
mãos de anjo no calor do ninho

fluxo temporal
marcas do tempo
poço celestial
levado pelo vento

o Universo de cada momento
passado na beleza
aliança do pensamento
fiel a sua natureza

encontros ocultos
se atinam em seus olhos
entregando frutos
à essência dos sonhos.

Arthur Nett
28/05/2014

Tempo Franco



Tempo Franco

O frio cortante
enraizado no barranco
muito distante
o tempo franco

diz do que é feita
fogo, água e terra
a fabula perfeita
na mata densa da Terra

a felicidade é tanta
com o folego da vida
nasce na labuta
uma paixão conhecida

o Paraíso o patriarca
dando origem ao Elfo e sua grandeza
deixando tudo para trás o amor arca
unindo minha natureza a sua nobreza.

Arthur Nett
20/05/2014