quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Pele de Cabra



Pele de Cabra

Toda noite lágrima
todo dia choro
bela vítima
corpo rijo ao couro

pele de cabra
canto do galo
suja macabra
centenas a alimenta-lo

Sol covarde
corre do monstro
potente arde
a metade do encontro

cruzes tremiam
trevas espessas
mulheres gemiam
saciando funéreas.

Arthur Nett
29/07/2016

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Pálida Morte





Pálida Morte

Impetuosa rosa negra bela
fértil voraz encontro
toda alma dela
ferve escuridão adentro

alva pele lenha
curta existência
doce companhia
presa intrépida fria

imperioso amor
sangue nobre
escuridão interior
copioso cobre

brilhante rija
pálida morte
anegrado deseja
luzente consorte.

Arthur Nett
29/07/2016

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Périplo Elegante


Périplo Elegante

Solo fecundo
plantas da Terra
poeira do Mundo
périplo elegante narra

folha comprida
insufla a morte
agua clara da vida
prostra o consorte

distância desaparece
separa o tempo
o destino floresce
mil sonhos ao vento

erige do peito
uma das dadivas recurvas
terra nutriz perfeito
mais amplo bebendo as chuvas.

Arthur Nett
29/07/2016