sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Solidão Póstuma


Solidão Póstuma

Braços abertos
longe claro
lábios certos
encontro raro

solidão póstuma
solo fértil
somente uma
faz o impossível fácil

seu beijo purifica
sua presença fortalece
o corpo se unifica
no olho nasce

a metade do dia
a noite cresce o desejo
floresce a magia
o amor puro enraíza  o beijo.

Arthur Nett
12/10/2016


Eu e Ela


Eu e Ela

Sozinho menino
anjo decaído
caminho do destino
lado bom partido

admirador da donzela
preso sem saída
jornada bela
escada da vida

degraus da saudade
consumindo o caminho
passos com vontade
porventura sozinho

a vida seria bela
eu a pistola
e ela a bala
imortalizando eu nela.

Arthur Nett
12/10/2016