sexta-feira, 5 de junho de 2015

Barba de Bode



Barba de Bode

Destemido barba de bode
violento bárbaro
a malha negra concede
destino indomável raro

olvidado de glória carrega
do homem forte o brio
ao celebre a sombra agrega
lucido e sombrio

sem medo, sem amigos
do Céu ao chão seus olhos negros brilham
ao jorrar com abundancia sangue dos inimigos
a noite escura é o coração

mortos sem valor
vidas são gotas numa tempestade
vivo nascido na dor
negro sangue da maldade.

Arthur Nett
28/05/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário