quarta-feira, 23 de março de 2016

Descem o Rosto


Descem o Rosto

Corrói por dentro
uma dor enorme
cada desencontro
aumenta feito fome

suporta a metade do dia
descem o rosto
apenas angústia
lágrimas tem seu gosto

uma eternidade
segue em frente
sem felicidade
sempre triste

próximo ao coração
noite adentro
distante da mão
um sonho de encontro.

Arthur Nett
28/01/2016


Nenhum comentário:

Postar um comentário