domingo, 6 de julho de 2014

Mata Virgem



Mata Virgem

Mata virgem
carvão do pecado
sinto vertigem
em tê-la ao lado

desafio o destino
distante nem imagina
longe dela sou um menino
fascinado por seu charme de menina

quarto estranho
mais tarde
Céu castanho
a solidão arde

a noite atira
negra e vazia
a paixão inspira
ao fogo faz companhia.

Arthur Nett
28/05/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário