quinta-feira, 30 de abril de 2015

Celebre Crepúsculo



Celebre Crepúsculo

Celebre crepúsculo
despertou matutina
perene músculo
escravo enfuna

pescoço condescendente
aspergido destino
presa descendente
suplica o veneno

afagando o queixo
a curta existência
ultraja a vida do eixo
sangrenta muda a aparência

a cândida vela
de gloria os cobrem
a taça mais funda e bela
de sangue se enchem.

Arthur Nett
25/03/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário