segunda-feira, 12 de março de 2012

O Sangue Foge


O Sangue Foge

Lua azul na bússola mendaz
aprisionando as conchas nas estrelas
como Rembrant no rosto do capataz
a luz pedante dos seus olhos apagam as velas

o lobo negro em Montes Claros
o apache no navio fantasma
com sua língua própria dos seus membros
marinheiros na comezaina do cataplasma

almas inocentes servidas
na bandeja de prata
virgens tatuadas
com sangue que foge a porta

reavivo os meus poderes
envoco os meus filhos
pronuncio aos mestres
estalando os ossos como galhos.

Arthur Nett

28/06/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário