segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Linhas da Solidão


Linhas da Solidão

Eu perderia o Mundo
pra te ver bela assim
seria o fruto do segundo
brotando sem fim

seu olhar brilhante
estilhaça a escuridão
o seu beijo flamejante
desperta a alvorada do coração

tira o folego da hora
longos dias são o presente
laços acorrentados ao agora
o futuro cônjuge ao presente

nossos passados vazios
preenchidos por um sentimento forte
transformando a realidade em sonhos macios
linhas da solidão escritas pelo consorte.

Arthur Nett
26/08/2015

Nenhum comentário:

Postar um comentário