sábado, 17 de setembro de 2011

Saga Majestosa







Saga Majestosa



Sua alma sobe seu corpo cai
seus lábios carnudos a minha mercê
na hipnose dos meus dedos seu medo se esvai
unindo o elo das correntes como buquê

nosso castelo de cartas marcadas
a rainha perdeu sua coroa
nos meus braços sente suas forças renovadas
nossa saga majestosa é a armadura que voa

com você não toco o chão
meus pés sentem o veludo vermelho
partindo nossas dores pelo vão
do calabouço farto de espelho

quando os Oceanos dos meus lábios
desaguam nas margens dos seus rios
escorregando por sua coroa como os sábios
reinando e velejando tormentas sem calafrios.

Arthur Nett
28/03/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário