segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

A Terra Canta



A Terra Canta
A terra canta moldando á argila
na destrutiva melodia do arbusto
percorrendo todo o seu corpo fica tranquila
com a sirene pulsante embaixo do seu busto

numa casa perto do Oceano
a ponto zero á leste
carrega nos ombros cada ano
do amor com raízes no pier oeste

com traços moldados no mogno
o urso extirado na areia num banho de lua
seu perfume deflorado em octogno
sua paixão rústica demais como pérola crua

correndo pelo doce impacto
da pena açucarada da selvageria
cavando fundo o nosso amor intacto
entregando a paixao que eu queria.

Arthur Nett
14/06/2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário