sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Alma Negra



Alma Negra

Tomei sua terra
bebi sua esposa
a sete palmos de terra
viu sangue no sorriso da raposa

arrepiou os ossos
conspurca a vida
labaredas queimavam os nossos
corpos com o fogo da partida

ascenderam o inferno
a alma negra caminha
um espirito livre do ser eterno
sua vida será minha

sangrou suavemente
nas profundezas do amago
bebi lentamente
saciando o sangue e tomando o folego.

Arthur Nett
04/10/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário