quinta-feira, 3 de abril de 2014

Entranhas



Entranhas

Nas entranhas dela tem o amor
no meu ser a posteridade
sangue sagrado e a dor
fazem parte da liberdade

sua vida corria perigo
até me encontrar no caminho enegrecido
a escuridão é um abrigo
onde sou livre e não entristecido

sem destino esquecido
minhas presas fizeram a absorção
do sangue perdido
nos vales do seu coração

pra matar a sede
preciso do seu sentimento
aquele que se perde
e levado pelo vento

Arthur Nett
26/03/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário