quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Alma Gêmea



Alma Gêmea

Ao entardecer
os pássaros não cantam mais
a floresta começa a adormecer
sinto seus lábios não sou capaz

de viver sem seus beijos
minha alma gêmea
no riacho dos desejos
seu perfume de fêmea

percorrem o meu ser
por corações partidos
até estar com você
todos os caminhos eram perdidos

as árvores testemunham
nosso amor
os galhos nos abraçam
pelos panos da floresta minha flor.

Arthur Nett
28/08/2013



 


Nenhum comentário:

Postar um comentário