sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Vestida de Sombras



Vestida de Sombras

Vestida de sombras
ela caminha até mim
afugenta os olhos das cobras
as outras apenas rastejaram no meu jardim

mais ela caminha bela
não me teme como criatura
eu sinto o sangue dela
correndo pelo corpo envolto a sua alma pura

eu tenho a eternidade
venha comigo
sou mais que um abade
o inferno é o filho pródigo

sua vida singela
fica para trás
apenas eu e ela
nem o tempo nos desfaz.

Arthur Nett
29/08/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário