domingo, 12 de outubro de 2014

Acordou da Morte



Acordou da Morte

Ela acordou da morte
na escuridão do sótão
seu sangue era forte
enraizado no meu coração

como um cavalo selvagem
crescia o desejo
seu rosto uma bela imagem
florescendo a rosa de sangue no beijo

pescoço alvo terreno
fértil as minhas presas
afiados no destino
cultivando em gotas as presas

crescem com ousadia
na noite mais sombria
conspurcando o dia
no breu ela despertaria.

Arthur Nett
18/09/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário