domingo, 5 de outubro de 2014

Sabre



Sabre

No jardim da Begônia
a chuva da manhã banha a cabeça de dragão
a alma gêmea nascia
no cinturão de pedra do coração

o Céu se abre
iluminando a floresta
o raio de Sol um sabre
esgrimindo o marco zero da conquista

domando o dragão branco
pelo portal aberto
ancestral ao franco
ascendente do certo

uma paixão ancestral
na Terra começa
com o toque celestial
por séculos desfrutados sem pressa.

Arthur Nett
15/09/2014


Nenhum comentário:

Postar um comentário