terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Escuridão





Escuridão

Anjos choram sangue puro
demônios tomam sangue inocente
vou erguer um muro
com aquele monte de gente

que serviu de alimento
para me fazer imortal
não conteve a cruz no cimento
não sepultou o mal

na tumba foi velada
está vazia esperando
o repouso da amada
que a vida foi esquecendo

sempre me da dor
ver um que ainda não morreu
quero seu corpo, sangue e amor
seu desejo pela escuridão é meu.

Arthur Nett
17/09/2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário