quarta-feira, 12 de março de 2014

Guarnição de Sangue



Guarnição de Sangue

Eles pertencem à luz do dia
da escuridão sou o patrono
reinando no sangue e na agonia
ficam velhos e eu um menino

sou um ser infiel
nascido no cemitério
eles chamam pelo Céu
vivem até encontrarem o purgatório

não os julgo
por suas vidas medonhas
são minha guarnição de sangue para o jogo
onde suas almas são minhas

saqueando seu corpos
abrindo minhas asas
bebendo o sangue e deixando carcaças para os corvos
vão para as profundezas do Inferno em brasas.

Arthur Nett
10/03/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário