quarta-feira, 12 de março de 2014

Janela


Janela

Um pensamento louco
que me vicia
tudo é pouco
nem mesmo a astucia

acordando o amago
dormindo a lucidez
tomando o folego
bebendo a lucidez

caçando o infinito
de palavras certas
seu olhar finito
abre as portas

adentrando o romance
fechando a janela
pra sempre do alcance
alva a paixão bela.

Arthur Nett
10/03/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário