sábado, 15 de março de 2014

Parte Escura



Parte Escura

Uma parte escura
minha borrando a aquarela
com sangue fazendo a pintura
na tela eu possuindo ela

o calabouço de barro
dos anos dissolvendo aos nossos pés
a eternidade me agarro
e te levo pra ver as mares

baterem na praia
trazendo humanos
envolta a minha magia
vê eles como pobres mundanos

lagrimas bebidas pelo chão
anos tomados pelo ralo
como a natureza sou sem coração
devolvendo os homens ao solo.

Arthur Nett
10/03/2014


Nenhum comentário:

Postar um comentário