terça-feira, 13 de novembro de 2012

Longo Anoitecer





Longo Anoitecer

O longo anoitecer do seu quarto
guindaste dos pedaços da juventude
o delineador usado no parto
nosso genes unidos na sua plenitude

a ferida da coragem aberta
por cavalos de primeira classe
corro sem bagagem na direção certa
meu beijo salta no terminal da sua face

congelo os momentos
de poeira fetal
na ruína vaza os sentimentos
e nasce a rainha de cristal

talheres do verdadeiro amor
servidos na mesa de cera
com toalha de flor
fornidos de uma nova era.

Arthur Nett
14/05/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário