sexta-feira, 9 de maio de 2014

Extinto



Extinto

Um rastro de corpos me seguem
por toda a minha existência
homens celebres me perseguem
com a mais intensa veemência

distante de almas vazias
onde há o breu eu existo
pelas minhas mãos macias
o faço tornasse  extinto

com as gotas de sangue ilustre
uma quadro de adeus
sou um ser ilustre
nessa tela de Deus

seu coração ainda bate sem eles
estará ao meu lado
sou o fim deles
um ser alado.

Arthur Nett
26/03/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário