terça-feira, 18 de junho de 2013

Áspide





Áspide

Juntos procuramos a escuridão
percorremos rios e muitos
corpos  num só coração
essas terras custaram muitos

homens de fé
pureza e riqueza
morreram de pé
e nos continuaremos a nobreza

em trilhas avidas
deixamos as pegadas da saudade
eles tomaram nossas vidas
mais jamais terão nossa liberdade

tenho meu nome na lápide
onde o anjo negro tira o sono eterno
minha voracidade é como de uma áspide
vagando pela noite esperando o Inferno.

Arthur Nett
03/06/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário