quarta-feira, 19 de junho de 2013

Predestinada



Predestinada

Os olhos doíam
os braços estavam cansados
os beijos nos aqueciam
estávamos escondidos

no meio do caminho
numa vida predestinada
antes eu era sozinho
agora caminho com você amada

nos meus sonhos
você não era tão bela
o brilho dos seus olhos
ofusca a estrela

um beijo apaixonado
um beijo inocente
tudo era passado
com você a minha frente.

Arthur Nett

 03/06/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário