terça-feira, 17 de junho de 2014

Tempo de Matar



Tempo de Matar

No cair da noite escura
é hora de acordar
o veludo perdura
o tempo de matar

a regia me transforma
em um assassino
o veneno conforma
o ponto final do destino

em linhas tortas
folhas inquietas de arvores negras
abrem as portas
do inferno queimando as regras

com sangue eu faço um lago
com os corpos a estrada
meu forte afago
faz com que se sinta amada.

Arthur Nett
26/03/2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário