terça-feira, 4 de setembro de 2012

Lábios Blindados


Lábios Blindados

O molinete dos raios da Lua
seus passos em volta
da terra sublime e nua
raízes da vasta cultura envolta

a noite nunca termina
o dia jamais começa
cabelos de fada e rosto de menina
destila seu sabor na minha taça

mergulho a aliança
no champanhe gelado
no batente da lembrança
da porta comigo espelhado

eterna condenação de uva
por passar os sinais fechados
da sua pérola fissurada pela chuva
nosso amor penerado em lábios blindados.

Arthur Nett
11/05/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário