terça-feira, 25 de setembro de 2012

Ruas de Fogo






Ruas de Fogo

Longe onde as ruas de fogo
esperam o voo das borboletas
com um beijo apago
o solo pra nascerem às borboletas

no tempo cinza
crescem, amadurecem
com o calor da brisa
e o pesar da nuvem

o calor da chama
com fragrância de flor
sua paixão pelo meu nome chama
com pétalas envoltas ao amor

a chuva lava o desejo
fervendo o solo da saudade
que sente no meu beijo
o aquecimento da eternidade.

Arthur Nett
24/09/2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário