terça-feira, 16 de outubro de 2012

Predadores






Predadores

Meio século é uma amante
o milênio é o marido
eles morrem e nos seguimos adiante
vendo os dias indo e vindo

morremos como predadores
aos olhos do falcão
vivemos eternos amores
acorrentados ao sangue do coração

na escuridão aprecio
a dadiva da vida como uma raposa
 as mortes tem o meu nome como principio
com o sangue te faço minha esposa

somos os vitais predadores
do único animal mal por natureza
vivemos a caça dos mais belos amores
me encontro no seu sangue e beleza.

Arthur Nett
05/10/2012


Nenhum comentário:

Postar um comentário