quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Búfalo da Noite




Búfalo da Noite

Pode gritar a vontade
aqui nem Deus pode te escutar
te deixarei viva por vaidade
quero vê-la implorar

no castelo onde fui criado
o búfalo da noite corria
pelo solo sagrado
enquanto o homem de fé morria

o aroma da morte
brotava nas flores
era um cheiro forte
era o sangue dos amores

que alimentaram o sangue real
aquele que o Sol tem medo
jamais fez algo celestial
por ele os homens de bravura se põe cedo.

Arthur Nett
12/02/2013

Facebook
https://www.facebook.com/arthur.nett

Nenhum comentário:

Postar um comentário