segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

O Primeiro




O Primeiro

Sem medo nenhum
por vários séculos
a noite vira um
obscuro cenáculo

vivo a idade
do novo homem
onde o sangue e a liberdade
vivem e se consomem

não possuo predecessores
sou o primeiro
de uma legião de predadores
eu vivo por inteiro

pelo os mais jovens
o sangue é meu conforto
o meu veneno são suas origens
impiedosas e de coração morto.

Arthur Nett
09/02/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário