terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Vários Rostos



Vários Rostos

Um passo solitário
em meio à multidão
vários rostos, um diário
escrito a livre mão

uma forte liberdade
indômita e fugaz
na solidão sem saudade
sozinho e capaz

de caminhar entre os amores
sentir seus perfumes
falsos como flores
de plástico sem ciúmes

o vento o leva de volta
para casa onde
a alma fica envolta
e o amor se esconde.

Arthur Nett
12/01/2013


Nenhum comentário:

Postar um comentário