terça-feira, 29 de maio de 2012

Canto da Chuva



Canto da Chuva


Além das cores dos seus olhos
das tulipas do seu cheiro
o chão enluarado de joelhos
mixando seu astral ao meu tempero


esteira de livros que calibra
meus pensamentos com asas
no seu corpo de virgem com charme de libra
desaba os portalós da noite em brasas


o canto da chuva na janela
a melodia pérfida do sol
aos beijos voa alto com a estrela
cadente do meu beijo sobre o lençol


sou o nababo do som
que grita seu corpo e alma
metamorfose do seu batom
sua pajem será minha palma.


Arthur Nett
24/04/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário