quinta-feira, 17 de maio de 2012

Primeira Vez




Primeira Vez


Flutuo sem dúvidas nesse romance
beijos consagrados desde a primeira vez
forte como a cicatriz do gado sem alcance
intenso e duradouro como a primeira vez


as sombras do seu rosto
são as nossas testemunhas
do lago que abre a seu gosto
escrevo nossa saga nas suas entre linhas


são cartas de amor escrita nos anos
que atravessam o mar da hora
juntos viajamos todo o mundo como ciganos
nossa eternidade começa agora


me expire pra dentro de você
sinta o meu perfume no ar
a estrela brilhante que você não vê
é o calor do tronco polar.




Arthur Nett
19/04/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário