quinta-feira, 31 de maio de 2012

Rigor Mortis



Rigor Mortis

O sol está me cegando
exorcizo á luz como uma doença
no pântano do purgatorio sou acusado
vivo nas sombras minha própria crença

Mergulho num rio de sangue
no banho de sangue te encontro nua
vemos os mendigos da destruição e sua gangue
meu feitiço acaba com sua febre crua

com você sinto meu rigor mortis
sombrio é seu fruto intra uterino
beijos mascavos e corpo pos mortis
com a ressurreição da noite me fascino

use laminas na minha pele como anestesia
penitencia do dia se torna um jogo de choro
ao nascer do sol sente a violenta amnesia
a hemorragia dos nossos beijos em coro.

Arthur Nett
31/03/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário