segunda-feira, 4 de junho de 2012

Amor Périplo



Amor Périplo


O clarão do relâmpago nas cinzas dele
no céu escuro do lago congelado
me sinto fora do calor no frio leve
meu amor périplo até o seu lado


ventos violentos no dente de leão
búfalos brunidos de neve
meu beijo adocica o seu coração
flor da pele gélida e suave


águas lindas abraçam o urso
atravessam as costas
no seu corpo perco o curso
paixaão a deriva nas suas costas


marcha de flores com máscara de esqui
o boneco de neve com os filhotes no ninho
acabam as dores da jornada até aqui
no seu calor nunca me sinto sozinho.


Arthur Nett
29/07/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário