terça-feira, 12 de junho de 2012

Leão do Vale



Leão do Vale
Sigo o dolar furado
que beijou sua palma
acho a moeda de sangue dourado
jabaculé nos laços da sua alma


milagre meio a evolução
antes eramos o magnífico par
alucinados sentido a emoção
do efeito de virarmos impar

chuva de colonia da vida a estátua
esculpida pelo leão do vale á sua face
minha boca de cereja é tua
a fada encantada faz o nosso enlace

exploro as matas da noite sem preço
conquisto o caminho até você pela selva
passamos todos os dias desde o começo
internados até a noite infinita com relva.

Arthur Nett
26/04/2011

Nenhum comentário:

Postar um comentário