sexta-feira, 8 de junho de 2012

Palácio da Eternidade



Palácio da Eternidade
No rumo do palácio da eternidade
é onde o astro rei nasce
com rímel nos olhos da verdade
em novos ares o nosso amor cresce

pontas duplas no destino
pó natural maquiando o vento
seus lábios são o meu destino
meu sorriso largo é o seu vento

chuvas de verão com línguas afiadas
batom na margem do Oceano
bocas seladas e mãos dadas
o amor se maquiando a cada ano

a jornada apenas começou
manchada de batom no caminho
nos meus beijos se saciou
e nos seus braços nunca estou sozinho.

Arthur Nett 31/07/2012

Nenhum comentário:

Postar um comentário