terça-feira, 6 de agosto de 2013

Quatro Ventos



Quatro Ventos


Corro em círculos no arquipélago
me refugio na foz do Rio
lá te avisto na beira do meu âmago
te afago partindo o frio

antes de você
andava só a percorrer
essa casa da mata procurando crer
no dia que iriamos passear e não correr

por uma trilha solitária
onde havia muitas luas
o amor crescia de maneira diária
a água doce sentia minhas mãos nas suas

os quatro ventos sussurravam
enquanto nos beijávamos
ao som dos pássaros que cantavam
sobre pétalas de rosas nos amávamos.

Arthur Nett
04/08/13

Nenhum comentário:

Postar um comentário