quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Batalha de Olhares




Batalha de Olhares


Na sua caçada hávera coração
a contigência da flexa que fura sem sangrar
os arcos as sete chaves saberão
que fui vitimado sem desmoronar

Destruidor seu olhar me a vista
como cavalheiro não posso te fazer a pergunta
sendo uma dama não pode revelar mais da uma pista
a batalha de olhares é uma guerra de vitória conjunta

te tiro pra dançar do salão até Marte
acuado na Terra conheço as estrelas como astronauta
presa a mim liberta toda a sua arte
seu coração operário pula e salta

o cheque em branco do nosso caminho é preenchido
assino no nome do meteoro que luta pra respirar
ofegante escreve no meu escudo dourado
o texto sentido e compreendido com falta de ar.


29/03/2011
Arthur Nett

Nenhum comentário:

Postar um comentário