segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Teatro da Dor



Teatro da Dor


No mar do teatro da dor
navego nas nuvens desse texto
o pierrô deixa suas lágrimas correrem por amor
ressentimento e dor fazem parte do contexto

esse espetáculo foi escrito pelo ermitão
que anda solitário mais nunca sozinho
fez todos os personagens espelho dessa nação
transforma seu sofrimento em lirismo e carinho

quando finalmente a cortina sobe
ela interpreta com frieza seu personagem vil
sua mágoa é destilada com ar esnobe
vingada e triste se refugia no seu vestido de vinil

você esquece de maneira fugaz sua fala
fica imóvel e esquece a dor
naufragada e abalada se cala
seu olho d'água está ancorado no amor.

Arthur Nett
24/02/2011


Nenhum comentário:

Postar um comentário