quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Ponte Madrigal




Ponte
Madrigal

A noite toda acordado
escrevendo segredos na estrada
intemerata ao seu lado
no ressaibo da amada

as mãos atadas na linha
celeste onde esteve
sua pegada é minha
num sinal breve

luzes revelando o caminho
na ponte madrigal de algemas
aprisionando o seu caminho
clarão de amor aberto em algemas

no meio do nada
o meu desejo nunca dorme
descansa na lingerie da amada
com amante detento de fome.

Arthur Nett
11/09/2011

Um comentário: