sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Filhos das Sombras


Filhos das Sombras

Sobre árvores negras
com almas vazias
extingo as regras
as rasguei com as minhas mãos macias

afundado na carne
no lago do pescoço
a noite passa deixando seu charme
sente os calafrios até o osso

a morte nos olhos
sobre o carvão dos espíritos
no circulo de fogo dos sonhos
cala os mais altos gritos

entrego ao Inferno
aqueles que estavam perdidos
a escuridão é o leito materno
para os filhos das sombras esquecidos.

Arthur Nett
23/10/2013

Nenhum comentário:

Postar um comentário